Aprenda os 9 certos da Administração de Medicamentos

Atualizado: 28 de jul.



Uma das funções mais importantes para o profissional de enfermagem é a administração de medicamentos. É impossível prestar uma assistência de qualidade para o paciente sem a segurança do que está fazendo. Um artigo publicado na Revista Saúde Multidisciplinar mostrou que no Brasil, cerca de 8 mil pessoas morrem por ano por erros cometidos na hora de administrar medicamentos.


É uma conta bastante alta se considerarmos que esse é um procedimento fundamental que o enfermeiro ou técnico devem saber. Infelizmente, o assunto em questão é muito extenso para ser abordado de maneira correta na graduação e curso técnico. Muitos ainda acham que tudo o que precisa vai ser aprendido durante a prática, e isso pode colocar vidas em risco como vimos acima.


Regras de administração de medicamentos


Se você é da área da saúde já ouviu falar nos cinco certos. Esse conceito foi criado na década de 60 para facilitar a administração de medicamentos pela equipe de enfermagem. Porém, ao longo dos anos o número de “certos” foram aumentando, podendo chegar até treze. Mas vamos falar um pouco sobre alguns certos.


Paciente certo

A identificação do paciente com nome e número de prontuário é fundamental e pode minimizar os erros de medicação. Não tem como saber o nome de todos os pacientes de cabeça, a identificação evita que o medicamento x que era para o seu José seja aplicado em dona Maria. Sem falar que no prontuário vai estar detalhado as doenças e alergias do paciente, isso é muito importante.


Medicamento certo

Checar a prescrição médica e o rótulo do medicamento antes de administrá-lo pode ser o que vai levar a administração ao sucesso ou você ter que correr com o seu paciente para o box de emergência devida a uma reação adversa. Por isso, também é recomendado que a prescrição seja eletrônica para evitar erros de leitura ou entendimento de letras ilegíveis.


Dosagem certa

A dosagem correta do medicamento é muito importante para o sucesso ou fracasso do tratamento do paciente. Por isso, é importante verificar e fazer a preparação seguindo à risca o que a prescrição médica sugere. Errar a dosagem pode diminuir o efeito do medicamento ou ser fatal.


Via certa

É imprescindível saber qual a via correta para a administração dos medicamentos. Os efeitos que quão rápido ele vai agir no organismo do paciente depende da sua via de administração. O profissional de enfermagem deve sempre verificar onde administrar a medicação de acordo com a prescrição médica e assim, evitando complicações e efeitos adversos.


Hora certa

Verificar o horário que o medicamento deve ser administrado e seguí-lo é mais um passo importante para a equipe de enfermagem. Alguns medicamentos precisam ser preparados com antecedência e por isso é necessário conferir o período da sua estabilidade e armazenamento até a administração.


Anotação certa

É nessa etapa que todos os procedimentos feitos pela equipe de enfermagem no paciente X e Y devem ser anotados. Se não estiver lá, significa que não foi feito. Ou seja, há o risco de realizar o mesmo procedimento mais de uma vez pelo simples fato de não constar como feito nas anotações.


Orientação ao paciente

O profissional de enfermagem precisa dominar a farmacologia do medicamento a ser administrado para passar corretamente ao paciente as possíveis reações adversas e seus efeitos esperados. Assim como informar qual medicamento está sendo aplicado para evitar complicações caso o paciente seja alérgico.


Interação medicamentosa

Também deve-se atentar a quais medicamentos estão sendo preparados no momento para evitar a interação medicamentosa. Isso acontece quando um fármaco sofre alterações pela presença de outro fármaco, alimento ou bebida.


O direito do paciente em recusar a medicação

E por último, mas não menos importante, o paciente tem direito em recusar o medicamento.

Nesses casos é importante orientá-lo sobre a importância e o porquê da prescrição do medicamento, se ainda assim o paciente não mudar de ideia, o profissional deve registrar a recusa.


Existem inúmeros outros fatores que precisam ser levados em consideração ao administrar um fármaco. O profissional de enfermagem tem que estar preparado para orientar o paciente e seus familiares quanto aos efeitos, tempo de tratamento e para quê serve o medicamento em questão, por isso ter conhecimento do básico não é o suficiente para garantir uma aplicação segura.


E lembre-se, na dúvida, não administre o medicamento. Confira a prescrição médica quantas vezes forem preciso e se ainda assim você não sente segurança para realizar o procedimento, peça para um colega fazer.


Gostou do nosso conteúdo? Siga a gente no IG @praticaenfermagem para saber mais.

E se você quer aprender mais sobre Administração de Medicamentos e atuar com segurança na assistência, clique e confira o nosso curso.



Posts recentes

Ver tudo