top of page

Tipos de infusão


Se você já esteve em um hospital ou clínica médica, é provável que tenha ouvido falar de infusão. É uma técnica de administração de medicamentos, soluções ou nutrientes diretamente na corrente sanguínea por meio de uma veia.


Existem diferentes tipos e cada um com uma finalidade específica, que deve ser escolhido de acordo com as necessidades do paciente. Por isso, conheça a seguir os 5 tipos mais comuns e entenda quando e como eles são utilizados.


Infusão Bolus

A infusão bolus, também conhecida como infusão em jato, é realizada de forma rápida e consiste na administração de uma dose única do medicamento diretamente na veia. Nesse tipo de infusão, a solução ou medicamento é administrado rapidamente em um curto período de tempo, geralmente em menos de 5 minutos.


Geralmente, é utilizada em situações de emergência, quando o paciente precisa receber a medicação de forma imediata. Alguns exemplos de medicamentos que podem ser administrados por infusão bolus são a adrenalina, a lidocaína e a nitroglicerina.


Infusão Rápida

A infusão rápida é utilizada quando é necessário que a medicação faça efeito rapidamente. É uma aplicação de medicamento que tem tempo entre 1 e 30 minutos.


É comum em situações emergenciais, como em casos de hipotensão ou arritmia cardíaca. Alguns exemplos de medicamentos que podem ser administrados por infusão rápida são a noradrenalina, a lidocaína e a adenosina.


Infusão Intermitente

A infusão intermitente é um tipo de infusão em que o medicamento é administrado em intervalos regulares, em vez de forma constante. Possui uma duração acima de 60 minutos, que acontece com intervalos.


Esse tipo de infusão é utilizado em casos em que é necessário manter níveis constantes de medicação, mas em que a administração contínua não é possível. Alguns exemplos de medicamentos que podem ser administrados por infusão intermitente são a vancomicina, a ampicilina e a quimioterapia.


Infusão Lenta

A infusão lenta, como o próprio nome sugere, é uma infusão que ocorre em um ritmo mais devagar, tem intervalo entre 30 e 60 minutos.


Esse tipo de infusão é utilizado quando a medicação precisa ser administrada em uma quantidade maior do que a que seria segura em uma infusão bolus. Alguns exemplos de medicamentos que podem ser administrados por infusão lenta são a vancomicina, a gentamicina e a amiodarona.


Infusão Contínua

Na infusão contínua o medicamento é administrado de forma constante, com uma taxa de fluxo controlada. A solução ou medicamento é administrado de forma constante e gradual, em um período de tempo prolongado, com duração superior a 60 minutos, sem interrupções na administração do medicamento, muitas vezes por horas ou dias.


Esse tipo de infusão é utilizado para manter níveis constantes de medicação no sangue e é comum em tratamentos de longo prazo, como em casos de dor crônica, insuficiência cardíaca e hipertensão. Alguns exemplos de medicamentos que podem ser administrados por infusão contínua são a morfina, a heparina e a dopamina.


Técnicas de Infusão


Para cada tipo de infusão, é importante seguir as técnicas corretas para garantir a segurança do paciente. Alguns dos principais aspectos a serem considerados incluem:


Via de acesso: a escolha da veia correta para a infusão, levando em conta a idade do paciente, suas condições de saúde e as medicações que serão administradas.


Equipamento adequado: a seleção do equipamento correto para cada tipo de infusão, como seringas, bombas de infusão ou bolsas de solução.


Cálculo de volume: o cálculo da quantidade correta de líquido ou medicação a ser administrada, levando em conta as características do paciente e as indicações médicas.


A escolha do tipo de infusão é individualizada


Um ponto de grande importância a ser destacado é que cada abordagem de tratamento sempre deve ser individualizada.


A equipe de saúde deve analisar qual o quadro de saúde do paciente e qual medicamento será administrado, para que seja possível individualizar a abordagem.


De modo que, a infusão pode proporcionar melhora do quadro de saúde do paciente a partir da aplicação da técnica mais adequada para a necessidade apresentada.


Atualmente a infusão é uma prática muito bem aceita, principalmente no pronto socorro. Todavia, é um método que requer cuidado no manuseio dos medicamentos, aplicação e gerenciamento da terapia.


Conhecer os diferentes tipos de infusão é essencial para a prática clínica da enfermagem, já que cada um tem sua indicação específica e pode impactar diretamente na saúde do paciente. Além disso, a administração correta das infusões é importante para evitar complicações ou efeitos adversos.


Lembre-se sempre de que um profissional de saúde bem informado é capaz de prestar um atendimento de excelência e promover o bem-estar de seus pacientes.



Gostou do nosso conteúdo? Siga a gente no IG @praticaenfermagem e inscreva-se no YouTube Prática Enfermagem para saber mais.

Posts recentes

Ver tudo

Comments


Commenting has been turned off.
bottom of page