Quais são os sinais vitais e como verificá-los

Atualizado: 28 de jul.




Os sinais vitais (SSVV) são medidas das funções básicas do corpo humano e essenciais para saber como está o funcionamento dos órgãos e sistemas. Com eles é possível monitorar a função circulatória, respiratória, neural e endócrina, auxiliando na identificação de doenças.


Há quatro principais meios para medir os sinais vitais:

  • temperatura corporal

  • frequência de pulso (FP)

  • frequência respiração (FR)

  • pressão sanguínea ou pressão arterial (PA) (não é considerado um sinal vital porém também é feita a aferição durante o procedimento)

  • frequência cardíaca (FC)

A temperatura corporal de um indivíduo pode variar de acordo com alguns fatores (gênero, hora do dia, atividade recente, e para as mulheres, o período menstrual também é considerado). Além disso, há cinco meios bastante utilizados para medir a temperatura: oral (boca), retal (reto), axilar (axila), pelo ouvido e pele (através da medição feita na testa). O resultado pode variar entre 35,5ºC a 37ºC dependendo do local da aferição.


O pulso mede as frequências das batidas do coração. Quando o sangue passa pelas artérias elas expandem e contraem, o que provoca a sensação de batida ao tocar o pulso. Isso ajuda a contar o ritmo cardíaco e seus batimentos por minuto. Um adulto saudável varia de 60 a 100 bpm.


Na respiração, o processo também é feito ao longo de um minuto, como na aferição do pulso. A pessoa em questão precisa estar em repouso enquanto é contado a quantidade de respirações que ela produz por minuto. Durante o processo, a contagem é feita pela observação do movimento do tórax ao puxar e soltar o ar. Uma respiração saudável em uma pessoa adulta varia de 12 a 16 respirações por minuto.


Já a pressão sanguínea ou pressão arterial (PA), é a pressão exercida pelo sangue contra a parede das artérias ao ser “jogado” na corrente sanguínea. Para fazer a aferição, usamos os valores da pressão sistólica (o maior valor) e a pressão diastólica (o menor valor), ex: 120 por 80 mmHg. Com esse procedimento, podemos avaliar a eficácia do sistema cardiovascular e alterações na pressão arterial.


E por último, a frequência cardíaca. Ela serve para avaliar e monitorar as alterações cardíacas do paciente. A frequência é medida com auxílio de estetoscópio por meio da ausculta cardíaca. Essa é a maneira mais eficiente de verificar o ritmo cardíaco e avaliar os efeitos de medicamentos que podem alterar o funcionamento do coração.


As medições dos nossos sinais vitais podem ser feitas em casa, porém, é recomendado o acompanhamento com um profissional de saúde para a detecção de possíveis doenças ou distúrbios. Sendo assim, visite seu médico com frequência.


Gostou do nosso conteúdo? Siga a gente no IG @praticaenfermagem para saber mais.

Posts recentes

Ver tudo