Técnico ou graduação, qual escolher?

Atualizado: 15 de set.




Com a discussão do piso salarial da enfermagem em pauta, muito se tem discutido sobre as atribuições da profissão. Afinal, qual a diferença entre enfermeiros e técnicos de enfermagem? Neste texto, explicaremos as atribuições de cada um e o que é necessário para atuar nessas profissões.


O que diz a lei 7.498?


Se você não conhece, a lei 7.498 regulamenta o exercício da enfermagem no Brasil. Sendo assim, as suas funções e o que é necessário para o exercício da profissão foram delimitados nesta lei e deve ser seguida pelas instituições ao realizar uma contratação.


De acordo com a lei, o enfermeiro é "o titular do diploma de Enfermeiro conferido por instituição de ensino, nos termos da lei" e o técnico de enfermagem é "o titular do diploma ou do certificado de Técnico de Enfermagem, expedido de acordo com a legislação e registrado pelo órgão competente".


O tempo médio de estudos para se tornar um técnico de enfermagem é de 2 anos e você pode iniciar os seus estudos com 16 anos. Já para enfermeiro, é necessário graduação com duração média de 5 anos e é preciso ter concluído o nível médio.


O que faz um técnico de enfermagem?


O técnico de enfermagem auxilia com os cuidados ao paciente, os atende em pré e pós operatório e realiza procedimentos de média e alta complexidade com a supervisão do enfermeiro. Além disso, é de responsabilidade do profissional administrar medicamentos, prestar assistência aos médicos, preparar equipamentos hospitalares, primeiros socorros, entre outros.


Eles podem atuar no tratamento intensivo, centros cirúrgicos, asilos, home care, postos de saúde, clínicas, hospitais, áreas administrativas.


O que faz um enfermeiro?


O enfermeiro tem um campo mais amplo para atuar, podendo ir desde o pronto atendimento hospitalar até áreas mais específicas dependendo da sua especialização. Ele também está apto para o atendimento de casos mais graves e a tomar decisões em situações de emergência. Além disso, gerir e liderar equipes também é uma tarefa desse profissional.


Ao contrário do que muitos pensam, o enfermeiro não é um ajudante do médico e sim, um protagonista para o desenvolvimento correto do tratamento do paciente. Eles podem atuar na enfermagem geral, pediátrica, home care, do trabalho, cirúrgica, obstétrica, docência, e mais recentemente surgiram a enfermagem aeroespacial, forense e genética.


E como está o mercado?


No Brasil, mais da metade dos profissionais de saúde são da Enfermagem. A demanda por trabalhadores dessa área aumentou desde a pandemia, e isso é um reflexo global. Mesmo assim, a concorrência é grande. Por isso, é essencial focar em uma área de atuação e investir em conhecimento para se destacar.


Aqui na prática temos programas exclusivos para enfermeiros e técnicos de enfermagem onde focamos no que é preciso para estar entre os melhores do mercado, seja um profissional atuante ou em formação. Para saber mais, clique aqui ou entre em contato com o nosso suporte.


Gostou do nosso conteúdo? Siga a gente no IG @praticaenfermagem para saber mais.

Posts recentes

Ver tudo